blog de
D. Betrand
de Orleans e Bragança
Publicações
Busca
Receba um aviso a cada nova publicação.

Perfil
D. Bertrand de Orleans e Bragança

O Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança é trineto de Dom Pedro II e bisneto da Princesa Isabel, a Redentora.
É advogado formado pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, da USP. Coordenador e porta-voz do movimento   Paz no Campo, percorre o Brasil fazendo conferências para produtores rurais e empresários, em defesa da propriedade privada e da livre iniciativa. Alerta para os efeitos deletérios da Reforma Agrária e dos movimentos ditos sociais, que querem afastar o Brasil dos rumos benditos da Civilização Cristã, que seus antepassados tanto ajudaram a construir no País, hoje assolado por uma revolução cultural de carater socialista.

D. Bertrand responde no YouTube.
  1. Sobre Paz no Campo
  2. Sobre o MST
  3. Sobre os Quilombolas
  4. Sobre raça negra e escravatura
  5. Sobre o MST e o poder
  6. Sobre invasões do MST
  7. Sobre Reforma Agrária

Cuidado, perigo! Petismo sem PT!

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Estaremos nós diante de um “petismo sem PT”?


❖ QUARTA-FEIRA, 21 DE FEVEREIRO DE 2018POSTAGEM:1394

        Ameaças ao avanço da safra agropecuária

 

Agencia Boa Imprensa

Cuidado, perigo! Petismo sem PT!

Hélio Brambilla

Ao contrário do que costuma afirmar certa mídia, a intervenção militar em 1964 contava com o apoio de milhões de brasileiros, que haviam saído às ruas nas históricas marchas da Família com Deus pela Liberdade, pedindo um basta ao governo comunista e corrupto de João Goulart (Jango). Uma semana após a ascensão dos militares ao poder, Plinio Corrêa de Oliveira publicou um manifesto qualificando de “Janguismo sem Jango” o perigo representado por criptocomunistas esgueirados de seus arraiais na tentativa de “pegar carona” no novo governo para tentar desviá-lo de seus objetivos. Estaremos nós diante de um “petismo sem PT”?

“Nossa bandeira é verde-amarelo sem foice e martelo”.

Nossa bandeira é verde-amarelo sem foice e martelo

Manifestações populares, nós as tivemos também em anos recentes, quando outros milhões de pessoas voltaram às ruas para pedir: “Quero meu País de volta”; ou ainda para proclamar: “Nossa bandeira é verde-amarelo sem foice e martelo” [foto acima].O brado dessa multidão era tão forte e insistente, que o novo governo se viu respaldado para dar uma guinada e colocar o País nos eixos.

Aos poucos o noticiário vai mostrando o resultado, com relatos constantes sobre o novo panorama de recuperação econômica que se vai descortinando. Além de já terem sido criados cerca de 1.300.000 empregos, o maior êxito continua sendo o agronegócio, que nos últimos 11 meses exportou quase 90 bilhões de reais, um resultado sem precedentes. De importador de alimentos há 50 anos, o Brasil se tornou um dos maiores exportadores, como mostra o quadro:

Agencia Boa Imprensa

Estes e outros dados constam do relatório Agropecuária no Brasil – Uma Síntese, recentemente lançado pela Embrapa a pedido da Confederação Nacional da Agricultura. O autor, Dr. Evaristo E. de Miranda, ressalta que o setor é responsável por 32 milhões de empregos, ou seja, mais de 33% do total no País. Ademais, gera um valor bruto de produção (VBP) de quase R$ 600 bilhões. No seu conjunto, gerou R$ 1,47 trilhão em 2016 (Cf. “Valor Econômico”, julho/2017). Para este ano, o prognóstico é de um aumento superior a 10%, fechando em cerca de R$ 1,6 trilhões (cerca de U$ 493 bilhões), o equivalente a mais de um terço de todo o PIB da Rússia.

Caso considerássemos apenas o agronegócio (independentemente do PIB), o Brasil seria o 25º país do mundo (FMI, novembro/2017). Alimentamos 210 milhões de brasileiros; e o desafio, segundo a Embrapa, é alimentar mais de 2 bilhões de pessoas nos próximos 40 anos.

O ano fecha com a produção recorde de 242 milhões de toneladas, aumento de 31,07% em relação ao ano passado (184 milhões de toneladas). Com este volume extraordinário de alimentos e riquezas lançados no mercado, a inflação caiu, a produção de veículos aumentou, os índices da Bolsa de Valores de São Paulo atingiram índices históricos.

A velocidade do avanço brasileiro é lembrada por Evaristo de Miranda: “Se alguém disser que está a par do agronegócio com os dados de ontem, já está desatualizado. Só se ficou plugado até a meia-noite, para poder falar no dia seguinte que os dados estão atualizados”.

“Nossa bandeira é verde-amarelo sem foice e martelo”.

As garras do “supergoverno” ecotribalista

Mas nem tudo são rosas. O grande problema são os elementos comunistoides, magnetizados por sua ideologia revolucionária de alto poder destrutivo. Egressos de governos recentes, permanecem à espreita e vão aproveitando cada oportunidade para pôr as cabeças de fora. Tinha razão Osvaldo Aranha, mentor de Getúlio Vargas, acreditando que o homem ainda não havia inventado armas capazes de vencer as ideias.

Duas ameaças principais rondam os espectros político, social e econômico:

1) Ameaças internacionais

a) A cúpula do PT, incluindo elementos da esquerda católica, excogitou a política intervencionista do Estado totalitário para induzir o crescimento da economia. Deve ter sido resultado de algumpesadelo, pois já se sabe aonde isso vai dar. E se alguém indagasse o que fazer “se isso não funcionar”, Lula poderia ter respondido: “A gente entrega tudo ‘pros cineses’”. E a China (China ou Rússia, é bom lembrar…) vai levando tudo a preço de banana, comprometendo com isso o amanhã de nossos filhos e netos.

Agencia Boa Imprensa

b) O secretário geral do Ministério da Agricultura, Eumar Novacki [foto ao lado],esteve na Inglaterra em outubro/2017, e foi inquirido sobre o rompimento dos acordos ambientais do Brasil com a Noruega. A formulação da pergunta era provocadora: “Quantos campos de futebol o Brasil preservou com isso?”.A resposta do ministro foi pronta e categórica: Temos fotos de 40 satélites, atualizando informações de nosso território 24 horas por dia, e elas demonstram que preservamos um território maior que os 28 países da União Europeia juntos; e de quebra, acrescentamos a isso mais o equivalente a quatro vezes o território da Noruega. Diante da resposta segura, os jornalistas e ONGs presentes tiveram de fazer cara de paisagem… desmatada e carbonizada. Perguntaram o que quiseram, e ouviram o que não queriam.

c) Parece ter começado a execução do plano de cortar o Brasil em dois, com o tal Corredor Ecológico Amazônico. O Ministro Sarney Filho assinou com o diretor do FMI, em 19 de dezembro último, um acordo cedendo ao FMI três milhões de hectares de terra (uma“compra”… por U$ 60 milhões). A partir dessa eventual operação, a soberania sobre esse grande quinhão brasileiro será “partilhada” com FMI e ONGs… por enquanto. Na verdade, o total cobiçado é de 136 milhões de hectares do Brasil, além das partes boliviana, peruana, equatoriana, colombiana, venezuelana e das guianas. Esse malfadado plano já havia sido denunciado pelo General Vilas Boas, comandante do Exército. São as garras do “supergoverno” ecotribalista querendo abocanhar o nosso território. Infelizmente, tal iniciativa conta com as bênçãos do Papa Francisco, que certamente tentará consolidá-la durante o Sínodo Amazônico/2019.

2) Ameaças internas

a) Especialistas afirmam que o rombo causado pelos “malfeitos” nos 13 anos do governo petista — propinas,superfaturamentos, lucros cessantes das empresas — pode alcançar R$ 3 trilhões, e os menos otimistas estimam até R$ 10 trilhões. O jornal “O Estado de S. Paulo” (7-11-17) noticiou que as concessões de subsídios em 14 anos custaram R$ 3,5 trilhões, portanto não parece exagerado jogar o total para cima. Sob o título “retomada árdua”, o jornal “O Globo”(20-10-17) afirma que a recessão só será revertida em 2024. Talvez leve ainda mais tempo, a julgar pelo prognóstico de Plinio Corrêa de Oliveira, que a havia estipulado em uns 50 anos, caso o PT tomasse o governo — como de fato aconteceu.

b) A proposta da Reserva do Cobre, no Pará,provocou uma gritaria internacional contra a exploração de nossas riquezas minerais. Ninguém está defendendo a devastação de florestas, mas sim a exploração de minérios com responsabilidade. Isto é muito diferente do que faz a China, que explora degradando tudo e não é responsabilizada nem cobrada por ninguém. Sabe-se que o uso inadequado da terra, a poluição e a má utilização de defensivos agrícolas estão conduzindo a China a perder quase 500.000 km² (o equivalente ao estado de Minas Gerais), devido à desertificação de seu território. Não nos consta que os “ecoterroristas” se importam com isso… Em sentido contrário, o Ministro da Agricultura Blairo Maggi demonstrou em recente artigo que o Brasil é de longe o país que mais preserva e mais produz no mundo, utilizando apenas 9% do seu território para agricultura, 16% para pastagens, e ainda preserva 61% de matas nativas. Segundo ele, o imobilizado mantido pelos proprietários nas reservas legais e APPs alcança um total de mais de R$ 3 trilhões. Os leitores podem imaginar o que isso significa, comparando esse quadro com o que aconteceria se cada residência fosse obrigada a deixar desocupados 20%, 35% ou até 80% de seus espaços… para “preservação imobiliária ambiental”! Os agropecuaristas são obrigados a fazer exatamente isso em suas propriedades, e os ataques contra eles não cessam.

Na foto abaixo, Sr. Geraldo e Da. Mercedes Lucisani G. Claro, de Guaíra, tiveram invadida sua propriedade, de apenas dois hectares. Foram espoliados e quase mortos pelos índios

c)Também os movimentos dos sem-teto, sem-terra, índios e quilombolas reiniciaram as agitações. No Mato Grosso do Sul, 126 fazendas continuam invadidas. Em Guaíra e Terra Roxa (Paraná), 18 propriedades grandes, médias e pequenas foram invadidas por índios, e até um “latifúndio” de dois hectares, onde vivia há mais de 50 anos um casal hoje nonagenário,foi tomado pelos índios sob os olhos complacentes das autoridades. Em Correntina (Bahia), uma invasão provocou prejuízos calculados em R$ 60 milhões à empresa proprietária da maior fazenda produtora de cebola do Brasil. Além de legumes e tubérculos, hordas de bandidos destruíram os pivôs de irrigação, tratores e depósitos. ONGs internacionais voltaram a agir a todo vapor, com o slogan Farm here and forest there — algo como “preservem suas florestas lá para termos aqui nossas fazendas”. É urgente recebermos a resposta: Quando voltaremos a ter segurança jurídica no Brasil?

d) Houve uma rebelião em setores da Justiça do Trabalho contra a Reforma Trabalhista. A intelligentsia e a esquerda católica armaram um clamor contra o decreto que definia o trabalho em condições semelhantes à escravidão. Sem essa definição, a matéria continuaria ao arbítrio dos fiscais. O Ministro Gilmar Mendes chegou a ironizar o caso, dizendo que executa jornadas exaustivas de trabalho, pois o seu expediente no STF soma-se ao do TSE. Aqui este assunto está sob a artilharia de muitos — mídia, Justiça trabalhista, ONGs, esquerda católica. No entanto, depoimentos de várias pessoas que foram trabalhar no Japão relatam trabalho de até 16 horas por dia. Os dados sobre a China são herméticos, e não se sabe ao certo quantas horas o operário chinês seja obrigado a trabalhar em troca de seu mísero salário mínimo.

Se tais mazelas cessarem, o céu será o limite para o desenvolvimento do agronegócio brasileiro, que entre Brasil e exterior já alimenta quase um bilhão e meio de pessoas. Este número pode ainda se multiplicar, pois nosso planeta tem quase oito bilhões de habitantes. Mas pouco ou nada se avançará, se ONGs, movimentos sociais, outras mazelas e o próprio governo não nos deixarem trabalhar com tranquilidade.

 


Verdes pedem radicalizar Código Florestal

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Código Florestal: Quatro ações diretas de inconstitucionalidade, visando prejudicar ainda mais os proprietários.


❖ TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018POSTAGEM:1393


O STF e o Código Florestal

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Começou bem o julgamento das contestações ao Código Florestal no Supremo Tribunal Federal (STF)


❖ SÁBADO, 17 DE FEVEREIRO DE 2018POSTAGEM:1392


Paraná na Agenda Indígena

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Paraná na Agenda Indígena- Vítimas: Guaíra e Terra Roxa


❖ DOMINGO, 11 DE FEVEREIRO DE 2018POSTAGEM:1391


Temperatura globais exageradas

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

a tendência ao aquecimento global nos oito quilômetros da atmosfera contados a partir da superfície terrestre (quase cinco milhas) foi de 0,096º C (0,17° Fahrenheit) por década entre janeiro de 1979 e junho 2017.


❖ SEGUNDA-FEIRA, 29 DE JANEIRO DE 2018POSTAGEM:1390


Sinal amarelo

sábado, 20 de janeiro de 2018

O agro[negócio] vai muito bem, mas sob olhar estreito, porque o produtor tem tido a renda cada vez mais corroída. Há um sinal amarelo.


❖ SÁBADO, 20 DE JANEIRO DE 2018POSTAGEM:1389


Boff: Sérgio Moro é pau-mandado

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

O Brasil assite atônito à inusitada tentativa de acovardar o Judiciário. Fervilham as redes sociais. Os morubixabas e corifeus da esquerda berram a todos os ventos enodoando os juízes. O manifesto “Eleição sem Lula é fraude” é disso claro exemplo.


❖ QUARTA-FEIRA, 17 DE JANEIRO DE 2018POSTAGEM:1385


Mini período glacial previsto produz efeitos

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

A mini era glacial anunciada já produz efeitos palpáveis. Ela não pode ser objeto de exageros nem, ainda menos, de pânicos como os ativistas comuno-ecologistas montam artificiosa e deslealmente para justificar medidas de cunho ditatorial.


❖ SEGUNDA-FEIRA, 15 DE JANEIRO DE 2018POSTAGEM:1384


Lei autoriza União bloquear bens sem ordem judicial

sábado, 13 de janeiro de 2018

Lei Federal publicada nessa quarta-feira possibilita ao poder executivo, por intermédio da Procuradora Geral da Fazenda Nacional, determinar o bloqueio de propriedades sem a necessária decisão judicial.


❖ SÁBADO, 13 DE JANEIRO DE 2018POSTAGEM:1383


É preciso resgatar a Embrapa

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

A Embrapa precisa ser resgatada das armadilhas do lulopetismo para, novamente, estar à altura dos desafiadores anos que estão por vir.


❖ SEXTA-FEIRA, 12 DE JANEIRO DE 2018POSTAGEM:1382


Brasil, país poupador de terras

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Devastação de matas e agricultura predatória são temas frequentes sobre preservação ambiental, num falatório mal informado, muitas vezes desonesto.


❖ TERÇA-FEIRA, 9 DE JANEIRO DE 2018POSTAGEM:1381


Perseguição do Ministério Público

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Produtor rural desiste de atividade por perseguição do Ministério Público e decidiu arrancar 450 mil pés de café plantados no sul da Bahia.


❖ SEGUNDA-FEIRA, 8 DE JANEIRO DE 2018POSTAGEM:1379


Aquecimento global!!!???

domingo, 7 de janeiro de 2018

No final do século passado, muitos "profetas" anunciaram que em razão do aquecimento global causado pelo homem, as futuras gerações perderiam até a noção do que seria NEVE!!!


❖ DOMINGO, 7 DE JANEIRO DE 2018POSTAGEM:1378


Nova portaria sobre trabalho escravo é um retrocesso

domingo, 31 de dezembro de 2017

Governo Temer cede ao PT e mantém legislação socialista para perseguir os produtores rurais e urbanos.Uma vergonha!


❖ DOMINGO, 31 DE DEZEMBRO DE 2017POSTAGEM:1377


O Menino Jesus e o IBGE, a Nasa e a Embrapa

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

O Brasil tem autoridade para enfrentar críticas dos campeões de desmatamento mundial


❖ SEXTA-FEIRA, 29 DE DEZEMBRO DE 2017POSTAGEM:1376


Quatro bandidos, muitas facadas

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

E dão prova de que o desarmamento da população ordeira pressupõe uma tolice: a de que os crimes são cometidos pelas armas e não por quem tem a intenção de usá-las para o mal.


❖ TERÇA-FEIRA, 26 DE DEZEMBRO DE 2017POSTAGEM:1375


“Paraná na agenda indígena”, no Canal do Boi

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

“Paraná na agenda indígena”, do Canal Zebu para o mundo, tem entrevista com o produtor rural Roberto Weber


❖ TERÇA-FEIRA, 19 DE DEZEMBRO DE 2017POSTAGEM:1374


A vitória da direita no Chile

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

A vitória da direita no Chile e o giro conservador da América latina


❖ SEGUNDA-FEIRA, 18 DE DEZEMBRO DE 2017POSTAGEM:1373


Por que o Presidente da FUNAI não compareceu?

domingo, 17 de dezembro de 2017

Presidente da FUNAI não compareceu à audiência pública em Brasília, que tratou sobre os problemas das invasões no Paraná e Mato Grosso do Sul


❖ DOMINGO, 17 DE DEZEMBRO DE 2017POSTAGEM:1372


“Não” à demarcação de terras indígenas!

domingo, 10 de dezembro de 2017

Milhares de pessoas protestam contra demarcação indígena no Oeste do Paraná


❖ DOMINGO, 10 DE DEZEMBRO DE 2017POSTAGEM:1371


Os desafios do agronegócio

domingo, 10 de dezembro de 2017

Num mundo coberto por um “dilúvio” de informação para a agricultura, como o descreveu o pesquisador da Embrapa Evaristo Eduardo de Miranda, “o grande desafio é captar dados importantes e produzir tecnologia com resultado”.


❖ DOMINGO, 10 DE DEZEMBRO DE 2017POSTAGEM:1370


AGU defende portaria do trabalho escravo no STF

domingo, 10 de dezembro de 2017

Conferiu maior clareza, objetividade e segurança jurídica ao processo de inclusão de empregadores na lista suja do trabalho escravo, isto é, no cadastro de empregadores que tenham submetido trabalhadores a condições análogas à de escravo.


❖ DOMINGO, 10 DE DEZEMBRO DE 2017POSTAGEM:1369


Guaíra em pé de guerra 2

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Moradores da fronteira fazem manifestação contra invasão indígena


❖ QUINTA-FEIRA, 7 DE DEZEMBRO DE 2017POSTAGEM:1368


Guaíra em pé de guerra

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

A população guairense conseguiu fazer o que pretendia; manifestar de forma pacífica e levar seu recado ao Governo Federal, Ministério Público, Justiça Federal e FUNAI, dizendo “não” à demarcação.


❖ QUINTA-FEIRA, 7 DE DEZEMBRO DE 2017POSTAGEM:1367


A proliferação dos ursos polares

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Problema dos ursos polares ‘em extinção’: estão gordos e numerosos demais


❖ SEGUNDA-FEIRA, 27 DE NOVEMBRO DE 2017POSTAGEM:1366


Missionários católicos no Tibet?

sábado, 18 de novembro de 2017

Muito jovem a vocação lhe indicava o apostolado com os gentios. Formou-se em direito, doutor em Filosofia e em seguida ordenou-se pelo IVE - Instituto Verbo Encarnado em 2012,


❖ SÁBADO, 18 DE NOVEMBRO DE 2017POSTAGEM:1365


Vegetação consome quase 20 vezes o CO2

domingo, 12 de novembro de 2017

As plantas retiram dióxido de carbono (CO2) da atmosfera para a fotossíntese em proporções que desanimam a demagogia catastrofista.


❖ DOMINGO, 12 DE NOVEMBRO DE 2017POSTAGEM:1364


Uma vitória do preconceito

domingo, 29 de outubro de 2017

A decisão liminar da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), de suspender a Portaria 1.129/2017 do Ministério do Trabalho sobre o trabalho escravo é uma comprovação de como o preconceito pode às vezes prevalecer sobre a realidade.


❖ DOMINGO, 29 DE OUTUBRO DE 2017POSTAGEM:1363


O fim da ideologia no combate ao trabalho escravo

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Muita vezes, a mera vontade do fiscal de punir o empregador era critério suficiente para o enquadramento de trabalhadores nas classificações de trabalho degradante ou análogo a escravo.


❖ SEGUNDA-FEIRA, 23 DE OUTUBRO DE 2017POSTAGEM:1362


Furacões passam, mas a fábrica de pânicos verdes fica

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Se for a julgar pelos furacões, o mundo que está vindo será igual àquele em que vivemos desde que o homem existe: nos próximos verões teremos furacões semelhantes aos dos anos passados.


❖ SEGUNDA-FEIRA, 16 DE OUTUBRO DE 2017POSTAGEM:1361