blog de
D. Bertrand
de Orleans e Bragança
Publicações
Busca
Receba um aviso a cada nova publicação.

Perfil
D. Bertrand de Orleans e Bragança

O Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança é trineto de Dom Pedro II e bisneto da Princesa Isabel, a Redentora.
É advogado formado pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, da USP. Coordenador e porta-voz do movimento   Paz no Campo, percorre o Brasil fazendo conferências para produtores rurais e empresários, em defesa da propriedade privada e da livre iniciativa. Alerta para os efeitos deletérios da Reforma Agrária e dos movimentos ditos sociais, que querem afastar o Brasil dos rumos benditos da Civilização Cristã, que seus antepassados tanto ajudaram a construir no País, hoje assolado por uma revolução cultural de carater socialista.

D. Bertrand responde no YouTube.
  1. Sobre Paz no Campo
  2. Sobre o MST
  3. Sobre os Quilombolas
  4. Sobre raça negra e escravatura
  5. Sobre o MST e o poder
  6. Sobre invasões do MST
  7. Sobre Reforma Agrária

A preservação da Amazônia

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Os grandes poluidores somem de cena e surge o Brasil como culpado pelos males ambientais


❖ SEGUNDA-FEIRA, 19 DE AGOSTO DE 2019POSTAGEM:1450

A preservação da Amazônia

Os grandes poluidores somem de cena e surge o Brasil como culpado pelos males ambientais

Denis Lerrer Rosenfield, O Estado de São Paulo

19 de agosto de 2019

O Brasil é figurante do desmatamento em nível planetário como se os problemas do mundo estivessem concentrados na falta de controle do desmatamento em nosso país. Segundo essa opinião, a agricultura e a pecuária nacional são as grandes responsáveis. Grandes poluidores desaparecem de cena e aparece o Brasil como culpado dos males ambientais. Parece a hipocrisia não ter limites, quanto mais não seja também pelos interesses do agronegócio em outros países, que querem prejudicar nossa competitividade.

Comecemos pelo nosso alto grau de preservação ambiental. Toda propriedade no Brasil, ao contrário de outros países do mundo, é obrigada a preservar a vegetação nativa, segundo a região em que estiver localizada. Na Amazônia, por exemplo, a reserva legal é de 80% da propriedade. Na área de Cerrado o porcentual chega a 35% e nos Campos Gerais, como no Sul, 20%. Note-se que o direito de propriedade é relativizado em função da preservação, fazendo os agricultores andar de mãos dadas com o meio ambiente.

Se pensarmos em termos gerais, 25,6% da área do território nacional é preservada pelos próprios agricultores. Isso equivale a 218 milhões de hectares, o que corresponderia, para efeitos de comparação, segundo a Embrapa Territorial, a dez países europeus, dentre os quais os maiores, como França, Alemanha, Reino Unido, Itália e Espanha. Observe-se ainda que nenhum outro país, mormente os que mais acusam o Brasil de destruição ambiental, tem um instituto semelhante. Por que não começar, se são tão responsáveis ambientalmente, por introduzir a reserva legal? Poderiam iniciar por um módico índice de 20%. Porque, muito provavelmente, a grita seria geral: “Atentado ao direito de propriedade”, “redução da competitividade”, “mudança da cultura rural” e assim por diante. Será que tudo isso não lhes antepõe um problema de ordem moral? De onde vem essa arrogância, essa posição de superioridade?

Ainda conforme a Embrapa Territorial, validada pela Nasa, em termos de preservação ambiental, somem-se a isso 13,8% de terras indígenas, 10,4% de unidades de conservação integral, as duas ascendendo a 206 milhões de hectares, correspondentes a 24,2% do território nacional. Ou seja, a preservação ambiental somaria já aqui 49,8% do Brasil. Deve-se ainda acrescentar a esse número as terras devolutas, militares e ainda não cadastradas, chegando, então, ao impressionante número de conservação da vegetação nativa em 66,3% do território nacional. Qual é a autoridade moral dos que nos criticam? Os detratores do País têm algum índice equivalente? Por que não seguem esse exemplo?

As ONGs, boa parte financiada pelos países mais desenvolvidos, poderiam fazer um trabalho equivalente nos Estados Unidos e na Europa, além dos países asiáticos, numa prova de sua imparcialidade e genuína preocupação com o planeta. Se não o fazem, terminam por trazer à tona a questão da parcialidade na sua atuação. Acabam corroborando a máxima da maior instituição patronal americana do agronegócio: farms here, forests there! O Brasil seria um parque ecológico, os outros países produziriam alimentos sem a concorrência brasileira.

O pano de fundo consiste em que o País se tornou o terceiro maior produtor de alimentos do mundo, devendo logo ocupar a segunda posição e rumando para a primeira se as condições logísticas (estradas, portos, navegação pluvial, entre outras) forem equacionadas. Trata-se de uma guerra comercial travestida de luta pela preservação ambiental. Poderiam preocupar-se em preservar lá, conforme os critérios estabelecidos aqui!

Os países mais poluidores do mundo são China, Estados Unidos, Índia, Rússia e Japão; alguns europeus vêm logo a seguir. Suas fábricas, seus automóveis, seu modo de vida e suas fontes de energia emitem gases o tempo todo. Apesar de algumas promessas recentes de redução da emissão, consubstanciadas em acordos internacionais, o progresso é lento e em alguns desses países, praticamente inexistente. Pretendem fazer hoje o que os países de Primeiro Mundo fizeram antes. O problema é que o planeta é finito e não comporta uma competição desenfreada desse tipo. Agora, quererem culpar o Brasil por aquilo que fazem não faz o menor sentido. Acontece que os países europeus e os desenvolvidos em geral não pretendem abdicar minimamente do seu padrão de vida - que é, sim, poluente -, preferindo transferir a outros uma responsabilidade sua. E tudo isso sob a máscara de uma “consciência moral”.

As consequências políticas começam a aparecer. A Amazônia já passa a ser considerada “patrimônio da humanidade”, como se não estivesse submetida à nossa soberania. Outros falam de um parque ecológico nacional, porém, na verdade, internacional, que seria financiado pelas maiores potências do mundo. Quem paga, contudo, termina por decidir. Seria o início da renúncia à soberania. O fato é que os problemas ambientais não cessam de se multiplicar, seja pela ação dos países mais poluidores, seja pela explosão demográfica, e os Estados evitam conter esta última por motivos religiosos e outros. Em décadas o problema poderá ser explosivo. O lema “patrimônio da humanidade” poderia vir a ser a justificação militar de uma intervenção em nosso país, em nome precisamente da “humanidade”. Seria a “guerra justa”!

Porque não se pensa, inversamente, numa intervenção militar internacional nos países mais poluidores? Por uma razão simples: eles possuem a força militar, econômica e diplomática para se opor a quaisquer iniciativas desse tipo. O Brasil, por sua vez, não tem uma força militar correspondente ao seu tamanho e à sua posição no mundo. Precisará, certamente, estar pronto para se defender. Exibir capacidade de dissuasão torna-se uma questão central. Ela nos colocaria numa posição de negociação e respeito. 

O mundo não é constituído por anjos!

 


Conferência do Deputado Eduardo Bolsonaro

sábado, 4 de maio de 2019

A conferência do Deputado Eduardo Bolsonaro está confirmada para o dia 09 de maio. Atendendo a um pedido do deputado, tivemos que ANTECIPAR O INÍCIO PARA 18:00 HORAS.


❖ SÁBADO, 4 DE MAIO DE 2019POSTAGEM:1449


Contra a bioadversidade

sexta-feira, 3 de maio de 2019

Nas áreas rurais, nas periferias urbanas e na produção agropecuária, os brasileiros enfrentam uma dura e cotidiana batalha contra a bioadversidade.


❖ SEXTA-FEIRA, 3 DE MAIO DE 2019POSTAGEM:1448


Bolsonaro ao lado de indígenas

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Bolsonaro ressaltou que, se as comunidades indígenas quiserem, devem ter liberdade para produzir e obter recursos minerais no território.


❖ SEGUNDA-FEIRA, 22 DE ABRIL DE 2019POSTAGEM:1447


MPF não respeita a propriedade

terça-feira, 19 de março de 2019

Justiça nega pedido de proprietários rurais para impugnar demarcação de terra indígena. MPF defende direito preexistente dos índios sobre terras que tradicionalmente ocupam e que prevalece sobre o título de posse


❖ TERÇA-FEIRA, 19 DE MARÇO DE 2019POSTAGEM:1446


Nos bastidores, sem demarcação

segunda-feira, 18 de março de 2019

“Pelo que entendi do governo não haverá mais demarcações no Paraná”, diz Sérgio Souza


❖ SEGUNDA-FEIRA, 18 DE MARÇO DE 2019POSTAGEM:1445


MST: atuação ilegal e doutrinação de crianças

sábado, 16 de fevereiro de 2019

A imprensa informa que Luiz Antonio Nabhan Garcia [foto abaixo], Secretário Especial de Assuntos Fundiários do governo Bolsonaro, pretende fechar escolas dirigidas pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem terra) por evidente doutrinação ideológica feita nos locais.


❖ SÁBADO, 16 DE FEVEREIRO DE 2019POSTAGEM:1444


O Sínodo sobre a Amazônia e a soberania nacional

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Acabou acontecendo. Sendo o Brasil um Estado que se declara laico, está agora envolvo num turbilhão internacional de fundo religioso que poderá custar sua soberania sobre a Amazônia.


❖ QUARTA-FEIRA, 13 DE FEVEREIRO DE 2019POSTAGEM:1443


Legislação trabalhista no campo é inadequada

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Legislação trabalhista no campo é inadequada


❖ QUINTA-FEIRA, 31 DE JANEIRO DE 2019POSTAGEM:1442


Bolsonaro em Davos

domingo, 27 de janeiro de 2019

Bolsonaro em Davos


❖ DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2019POSTAGEM:1441


Ministro do Meio Ambiente critica multa milionária a índios

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Ministro do Meio Ambiente critica multa milionária a índios que plantam transgênicos


❖ QUINTA-FEIRA, 24 DE JANEIRO DE 2019POSTAGEM:1440


Farms here, forest there

domingo, 20 de janeiro de 2019

Farms here, forest there


❖ DOMINGO, 20 DE JANEIRO DE 2019POSTAGEM:1439


Entrevista no Canal do Boi

sábado, 19 de janeiro de 2019

Zebu Para o Mundo


❖ SÁBADO, 19 DE JANEIRO DE 2019POSTAGEM:1438


Discurso do chanceler, reação das esquerdas e missão do Brasil

sábado, 12 de janeiro de 2019

O discurso de posse do chanceler Ernesto Araújo ecoou pela mídia nacional e internacional e estabeleceu um marco divisório entre a ruptura dos 13 anos petistas com a tradição brasileira e a nova fase que se inicia.


❖ SÁBADO, 12 DE JANEIRO DE 2019POSTAGEM:1437


43 - Meio Ambiente - Evaristo de Miranda (Embrapa)

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Assista a "43 - Meio Ambiente - Evaristo de Miranda (Embrapa)" no YouTube


❖ SEXTA-FEIRA, 11 DE JANEIRO DE 2019POSTAGEM:1435


General Heleno - índios não precisam de tratamento diferenciado

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

General Heleno diz que índios não precisam de tratamento diferenciado


❖ QUINTA-FEIRA, 10 DE JANEIRO DE 2019POSTAGEM:1434


Reforma agrária e demarcações serão revistas

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Reforma agrária e demarcações serão revistas


❖ TERÇA-FEIRA, 8 DE JANEIRO DE 2019POSTAGEM:1433


Estado criminoso desarmando o cidadão

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

O Estado foi criminoso quando desarmou o cidadão sem condições de desarmar o bandido


❖ SEGUNDA-FEIRA, 7 DE JANEIRO DE 2019POSTAGEM:1432


PT seita comunista

sábado, 5 de janeiro de 2019

Entrevista do programa Zebu Para o Mundo realizada em 25/12/2018


❖ SÁBADO, 5 DE JANEIRO DE 2019POSTAGEM:1431


Importância do marco temporal

segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

O magistrado se baseou no critério do "marco temporal", que só reconhece o direito indígena de terras onde as comunidades tradicionais estavam presentes no ano de 1988.


❖ SEGUNDA-FEIRA, 24 DE DEZEMBRO DE 2018POSTAGEM:1430


Prof. Molion: o aquecimento global e as falcatruas em torno dele

sábado, 15 de dezembro de 2018

Prof. Molion: o aquecimento global e as falcatruas em torno dele


❖ SÁBADO, 15 DE DEZEMBRO DE 2018POSTAGEM:1429


O presidente e a Amazônia

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Desafio é fazer cumprir o Código Florestal e garantir a gestão das áreas já atribuídas


❖ QUARTA-FEIRA, 7 DE NOVEMBRO DE 2018POSTAGEM:1428


Bolsonaro venceu em dioceses governadas por bispos amigos do PT

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Bolsonaro venceu com folga em dioceses governadas por bispos próximos do PT ou que se engajaram na campanha de Haddad


❖ SEGUNDA-FEIRA, 5 DE NOVEMBRO DE 2018POSTAGEM:1427


Telegrama do IPCO ao Presidente eleito Jair Bolsonaro

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Telegrama do IPCO ao Presidente eleito Jair Bolsonaro


❖ QUARTA-FEIRA, 31 DE OUTUBRO DE 2018POSTAGEM:1426


Comunicado do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Comunicado do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira.


❖ TERÇA-FEIRA, 23 DE OUTUBRO DE 2018POSTAGEM:1425


Demarcação de área indígena no Paraná

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Documento identifica 24 mil hectares de terras em Altônia, Guaíra e Terra Roxa para criação de reserva indígena, mas que são ocupadas há anos por produtores rurais


❖ QUARTA-FEIRA, 17 DE OUTUBRO DE 2018POSTAGEM:1424


A Agricultura paulista nas mãos da Justiça

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Os agricultores paulistas dedicam à preservação da vegetação nativa mais de 4,1 milhões de hectares.


❖ TERÇA-FEIRA, 16 DE OUTUBRO DE 2018POSTAGEM:1423


Ditadura do PT

sábado, 13 de outubro de 2018

O PT quer vencer a eleição e por fim à democracia, criar comitês externos ao Judiciário e censurar os meios de comunicação


❖ SÁBADO, 13 DE OUTUBRO DE 2018POSTAGEM:1422


Zé Dirceu: ? Nós vamos tomar o poder!

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

É questão de tempo pra gente tomar o poder. Aí nós vamos tomar o poder, que é diferente de ganhar uma eleição


❖ SEGUNDA-FEIRA, 8 DE OUTUBRO DE 2018POSTAGEM:1420


Antropólogo denuncia FUNAI: “é um órgão aparelhado para fazer do índio uma massa de manobra”

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Antropólogo denuncia FUNAI: “é um órgão aparelhado para fazer do índio uma massa de manobra”


❖ TERÇA-FEIRA, 25 DE SETEMBRO DE 2018POSTAGEM:1419